Cerca de 60 mil novos casos este ano. Essa é a estimativa de mulheres acometidas pelo câncer de mama no Brasil em 2019, segundo levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca). Esse é o segundo tumor mais incidente entre as mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. A campanha do “Outubro Rosa” surgiu com a intenção de conscientizar a população sobre o tema e ajudar a reduzir esse número de casos.

A iniciativa teve início em 1990, nos Estados Unidos. Porém, só começou a ganhar força no Brasil a partir de 2002. Na época, o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado de rosa, sendo considerado o primeiro registro feito em alusão ao movimento. O principal objetivo foi alertar sobre a importância dos exames, já que o diagnóstico precoce da doença aumenta em 95% as chances de cura.

Além do autoexame, a mamografia é um dos principais métodos de identificação para o controle da doença. Mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos devem realizar a mamografia a cada dois anos, segundo recomendação do Ministério da Saúde. Em situações específicas, como quando há histórico familiar, o médico pode requisitar o exame em idades mais jovens e em intervalos menores, aumentando a frequência.

Segundo a atualização da Lei nº 13.770, pessoas com casos de mutilação decorrente do tratamento deste câncer têm o direito de passar por procedimentos de simetria das duas mamas e reconstrução dos complexos aréolo-mamilares, considerados partes integrantes da cirurgia plástica.

A lei também estabelece que em situações onde o paciente não esteja em boas condições para a reconstrução mamária (Cirurgia Plástica Reparadora) no ato da cirurgia para retirada do tumor, deva ser encaminhado para acompanhamento e após alcançar as exigências clínicas, poderá ser feita a cirurgia. Diferente disso, o procedimento deve ser realizado de forma imediata.

Na Nova Saúde, apoiamos a campanha de prevenção da doença e realizamos ações de orientação dos colaboradores durante os exames periódicos e admissionais. Em casos de afastamento para tratamento e retorno ao trabalho, nos preocupamos com a reintegração física e mental da funcionária por meio do acompanhamento médico e/ou psicológico, proporcionando mais tranquilidade e conforto emocional na volta as atividades laborativas.

Vale lembrar que na Nova Saúde esse é um processo constante, feito não somente neste mês, mas ao longo de todo o ano. Isso proporciona maior segurança, empatia e bem-estar, influenciando positivamente no ambiente de trabalho. No dia 1º de outubro participamos da iniciativa da Assembleia Legislativa de São Paulo, em ação liderada pelo deputado Altair Moraes, onde foi realizado o lançamento da campanha de “Abertura Oficial do Outubro Rosa”. Um motivo de orgulho e de grande responsabilidade para nós.