Sabemos o quão importante é buscar harmonia entre corpo e mente para uma vida mais saudável. Entretanto isso implica em adotar hábitos de vida mais saudáveis, incluindo em nossas rotinas cuidados contínuos com o coração. Igualmente importante é sempre buscarmos equilíbrio emocional em todas as nossas atividades de vida, já que quando estamos abalados emocionalmente ficamos mais propensos a desenvolver doenças tanto cardiovasculares como aquelas relacionadas à saúde mental. Um fator que tem grande influência nesta questão é o ambiente de trabalho, onde normalmente passamos a maior parte do dia.

Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos de doenças cardiovasculares em todo o mundo. No Brasil, apenas em 2019, elas causaram mais de 350 mil mortes, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Vale ressaltar que a propensão a desenvolver doenças no coração está relacionada à presença de fatores de risco, como sedentarismo, hipertensão e obesidade. Contudo, algumas mudanças nos hábitos de vida – como praticar exercícios, ter uma alimentação saudável e deixar de fumar – podem minimizar, e muito, esses problemas.

Outro ponto de alerta para as empresas e bastante preocupante dentro e fora do trabalho, é o aumento de casos de depressão, atualmente, um dos principais motivos de afastamentos do trabalho. Com 300 milhões de pessoas atingidas, essa doença será a mais incapacitante do mundo já neste ano, conforme prevê a OMS. Por aqui, quase 12 milhões de pessoas convivem com o distúrbio, o que explica o surgimento da Síndrome de Burnout. Esse fenômeno ocupacional está relacionado à exaustão, estresse e esgotamento físico, muitas vezes, atrelado ao excesso de trabalho, jornadas inflexíveis e pressão por resultados. Isso tudo acaba contribuindo para um desequilíbrio da saúde mental e, consequentemente, redução de rendimento profissional.

Uma forma de criar ambientes de trabalho mais saudáveis é desenvolver estratégias e políticas focadas em saúde preventiva. Essas práticas permitem prevenir doenças ou lesões com ações antecipadas, já que em muitos casos os problemas são assintomáticos e só revelados em exames médicos de rotina. Além disso, a OMS recomenda que as intervenções de saúde mental façam parte de uma estratégia integrada de bem-estar que inclua a prevenção, identificação precoce, apoio e reabilitação.

Por isso, acompanhar a saúde do colaborador de forma preventiva, propor campanhas de qualidade de vida e promoção à saúde, além do incentivo à adoção de hábitos de vida mais saudáveis, dando ainda suporte aos casos críticos já identificados permite, além de reduzir os custos com casos de absenteísmo, promover a autoestima do funcionário, ou seja, com a prevenção todos ganham.

Medicina preventiva e gestão de ambulatório in company estão entre as principais áreas de atuação da Nova Saúde. O foco é aliar prevenção e cuidados com a saúde do trabalhador e proporcionar maior bem-estar ao ambiente corporativo, contribuindo com a gestão de saúde ocupacional.